Sentimentos de revolta...

Sinto revolta, uma enorme revolta. Por vezes, uma vontade imensa de gritar e dizer basta!
Sinto que estou rodeada de falsos sorrisos, de falsas palavras e promessas. Impera o egoísmo e aquela capacidade extraordinária de “tramar” o próximo só porque sim. 
Parece que se perdeu o sentido de ajudar o próximo, não existe compreensão, apenas exigências e mais exigências não interessando de modo algum os sacrifícios que são feitos nem o que resulta dos mesmos.
Começo a perder a fé nas pessoas, tento ser quase como uma máquina que apenas serve para executar tarefas e que deixa de lado os sentimentos, mas isto deixa-se esgotada, sem forças, desanimada… Talvez seja uma fase, talvez tenha de agarrar com todas as minhas forças aquilo que realmente tem valor, mas uma vez mais, eis que surge a desilusão e por vezes por aqueles que menos esperamos.  
A vida podia ser muito mais fácil se todos tentassem andar em harmonia, se deixassem de lado egoísmos e os desejos exagerados de poder... Se algumas pessoas descessem do pedestal e começassem a olhar os outros como iguais talvez este mundo fosse melhor…
Futilidades, falsas aparências, “manias” que se é mais que os outros, (…), é o que vejo no meu dia-a-dia.  Tenho dificuldade em compreender as pessoas, os seus actos e atitudes…  os valores que me foram transmitidos não combinam em nada com a realidade que vivo.
Eu pergunto, qual o ganho em prejudicar os outros? O é que se pode ganhar com isso?

T. Pires

Comentários

Mensagens populares deste blogue

7º Encontro de Utilizadores ESRI

"Nasa revela que Antártida não está diminuindo e sim ganhando mais gelo"